E A Praga Foi Interrompida…

A Segunda Páscoa?

Tempos difíceis estão chegando, meus queridos leitores —e, como todo mundo, estou procurando as respostas—. As palavras que repercutem na minha cabeça hoje em dia são as de Números 16: «E a praga foi interrompida» —e mesmo que eu conheça muito bem a palavra Hebraica— עָצַר atzár («interrompida»), usada aqui, eu ainda fui abençoada por ler em meu programa Bíblico a lista de todos os possíveis significados bíblicos dessa palavra:

1 Restringir, segurar, fechar, paralisar, reter, refrear, ficar, deter 1a) (Qal) 1a1) restringir, interromper, parar 1a2) reter 1b) (Niphal) ficar restrito, estar suspenso, ficar sob restrição.

Restringir, segurar, fechar, paralisar, reter, refrear —é exatamente disso que precisamos hoje, não é? — Mas como aconteceu então? Como a praga foi interrompida? Vamos estudar este capítulo juntos e tentar entender exatamente o que Deus nos diz hoje. CS Lewis escreveu: «o sofrimento é o megafone de Deus para despertar um mundo surdo». Nesse caso, sem dúvida Deus está falando muito alto hoje em dia —então vamos tentar entender o que Ele está nos dizendo—.

Antes de passarmos para o livro de Números, gostaria de compartilhar algumas ideias. Eu preciso emitir um aviso muito serio: isto não é uma profecia! Para mim, pessoalmente, foi uma revelação poderosa e é por isso que gostaria de compartilhá-la com vocês, mas não há como fingir conhecer a «verdade definitiva». Como vocês, tenho mais perguntas do que respostas, mas só quero chamar sua atenção para dois fatos óbvios.

O primeiro é o «quando» da praga —o momento—. O Coronavirus está acontecendo exatamente antes da Páscoa (este ano, a Páscoa começa em 8 de abril) —exatamente no momento em que as pragas no Egito estavam acontecendo—. Estamos testemunhando uma segunda Páscoa? Em nossa vida anterior, antes do corona (que parece tão remota para nós agora, embora tenha sido apenas algumas semanas atrás), estávamos muito conscientes —e alarmados— com o crescente anti-semitismo no mundo. Será que o Deus de Israel está em pé atrás de Seu povo? Será que Ele está usando essa praga para «despertar um mundo surdo» e afastar dele o ódio ao Seu povo? É claro que também há Coronavírus aqui em Israel, e nossas vidas aqui se tornaram tão assustadoras e surreais quanto em qualquer outro lugar: ruas vazias, lojas fechadas, multidões de pessoas mascaradas esperando antes da entrada de supermercados etc. no entanto, a Páscoa que se aproxima me faz pensar repetidamente nas pragas Egípcias: o povo do Egito percebeu que a questão era sobre os Hebreus —que eles eram a chave dessa história?— O povo Judeu é sempre a chave para o plano e o coração de Deus —e não posso deixar de pensar que, de alguma forma—, Israel é uma das chaves para desvendar a história de hoje. Mas, mais uma vez, isso não é uma profecia, posso estar errada —estou simplesmente compartilhando meus pensamentos e sentimentos pessoais com vocês—.

Ainda mais significativo —e menos óbvio— é um segundo fator que eu gostaria de chamar sua atenção: o «onde» da praga. Se considerarmos quais países foram os mais atingidos (fora da China), percebemos que essa topografia pode não ser por acaso e pode muito bem ter a ver com a atitude desses países —no passado ou no presente— em relação ao Seu povo. Confie em mim, o sofrimento das pessoas simples nesses países parece tão injusto e incompreensível para mim quanto parece para vocês —mas esses são fatos tristes, mas verdadeiros—, e estou apenas tentando decifrar a mensagem de Deus por esses fatos. Mais uma vez, posso estar errada. Mais uma vez, meu coração se entrega a todo sofrimento, seja qual for o país de origem —e como vocês (e como Abraão na Bíblia)—, estou perguntando a Deus como é possível que pessoas inocentes estejam sofrendo e morrendo por causa dos pecados dos outros. Mas os números estão aumentando —e esses são os fatos e não apenas meus pensamentos pessoais—.

Entre mortos e vivos

E agora, vamos abrir Números 16. Suponho que muitos de vocês conhecem a história de Coré e sua rebelião como «levantaram-se perante Moisés com duzentos e cinquenta homens dos filhos de Israel, príncipes da congregação, eleitos por ela, varões de renome».[1] Vocês provavelmente se lembram «que a terra, debaixo deles se fendeu, abriu a sua boca, e os tragou».[2] O que acho muito interessante neste capítulo, porém, é o fato de que não foi logo após a rebelião de Coré que a praga começou: como punição por essa rebelião, quase 250 pessoas, juntamente com suas famílias, foram engolidas pela terra —e a história parecia ter terminado—. Mas foi no dia seguinte, quando «toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e Arão, dizendo: “Vós matastes o povo do SENHOR, porque grande indignação saiu de diante do Senhor; já começou a praga”»O que deixou Deus tão zangado?

Não há comentários melhores sobre as Escrituras do que as próprias Escrituras, portanto, em busca de uma explicação, vamos considerar outra história bem conhecida: quando Moisés viu o povo pecando com o bezerro de ouro, «acendeu-se-lhe a ira»[3] e ele  quebrou as tábuas que Deus lhe deu. Sabemos que Deus não apenas não o repreendeu por fazer isso, mas Ele próprio ficou tão zangado que Ele queria destruir o povo. A conclusão óbvia: Deus fica zangado quando algo que não é Seu, é chamado pelo Seu nome. E é exatamente o que acontece na história de Números: quando os Israelitas chamam aquelas pessoas que se rebelaram contra Moisés (e, ao fazê-lo, se rebelaram contra o Deus de Moisés), «povo do Senhor» – «grande indignação saiu de diante do SENHOR» – «já começou a praga».[4]

14.700 pessoas morreram desta praga (quase como o número de mortos no mundo agora —no momento em que escrevo este post são 13.071—). Mas como a praga foi interrompida? Lemos que Arão colocou fogo e incenso em seu incensário e «correu para o meio da assembleia… e fez expiação pelo povo».[5] E aqui está o versículo-chave que venho ouvindo na minha mente desde que tudo começou: «Pôs-se em pé entre os mortos e os vivos; então a praga foi interrompida».[6]

Amigos, não estou tirando conclusões aquí —afinal, não cabe a mim—. Eu quero saber, no entanto, como a praga pode ser interrompida. Vamos pensar juntos e buscar as respostas juntos; convido vocês a compartilhar aqui seus comentários e seus pensamentos. Talvez, juntos, entenderemos como a praga foi interrompida.

 

 

 

[1] Números 16:2.

[2] Números 16:31-32.

[3] Êxodo 32:19.

[4] Números 16:46.

[5] Números 16:46-47.

[6] Números 16:48.

 

Nestes tempos difíceis, quando de fato você sente como si Deus estivesse escondendo Seu rostro, do Seu povo, eu invito a checar meu livros —porque agora entendo que alguns foram escritos para um tempo como este—. Você pode obtê-los en minha página:  https://blog.israelbiblicalstudies.com/julia-blum/   

 

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Começos (12): Gênesis 3

Por Julia Blum

Join the conversation (No comments yet)

Deixe uma resposta