O Messias E O Filho De Homem No Evangelho (i)

Na série o Messias Oculto falamos longamente sobre um dos dilemas mais desconcertantes do Novo Testamento: enquanto os leitores Cristãos dos Evangelhos continuam chamando Jesus, o Messias de Israel, Ele mesmo desencorajou continuamente o uso do título ‘Messias’ durante seu ministério público. Até agora, no entanto, não prestamos a devida atenção ao título que Jesus aplicou a si mesmo. Embora desencorajando abertamente o uso do título ‘Messias’, repetidamente usou a expressão ‘Filho do Homem’ com referência a si mesmo. Podemos ver isso muito claramente, a título ilustrativo, a partir deste exemplo:

 20 “Mas vós, perguntou ele, quem dizeis que eu sou? Então falou Pedro, e disse: És o Cristo de Deus! 21 Ele, porém, advertindo-os, mandou que a ninguém declarassem tal coisa, 22 dizendo: É necessário que o Filho do Homem sofra  muitas coisas, seja rejeitado pelos anciãos, pelos principais sacerdotes e pelos escribas; seja morto e no terceiro dia ressuscite”.[1]

 

O Filho do Homem é o principal título de Jesus nos Evangelhos (especialmente em Marcos e Lucas). O que é notável, porém, é que a expressão nunca é aplicada a Jesus por outra pessoa como título ou deferência; ela é sempre colocada pelos evangelistas em Seus próprios lábios. Não seria lógico supor que a mensagem que Ele queria expressar a Seu povo era diferente daquela de ser ‘Messias de Israel’ –de outra forma por que Ele apenas não   chamaria a si mesmo Messias?– Claramente, Ele preferiu expressar Sua missão em termos diferentes –pelo termo ‘Filho do Homem’–. Por quê?

 

É interessante que, na interpretação Cristã tradicional, essas palavras designem a natureza humana de Jesus. Para a grande maioria dos Cristãos, Jesus chamou a si mesmo Filho do Homem porque Ele não somente era totalmente divino, Ele também era totalmente humano e Ele queria expressar essa mensagem. Muitas vezes, fiquei surpresa ao descobrir que, mesmo aqueles que possuem algum conhecimento do Judaísmo do Primeiro Século, ainda aderem a essa opinião. Então, nesta nova série, tentaremos responder a pergunta: o que Jesus quis dizer e a que Ele se referiu  quando Ele chamava a si mesmo “o Filho do Homem”?

 

******************

 

Há uma idéia comum de que Jesus de Nazaré cumpriu quase todas as profecias messiânicas do TANACH e que foi apenas como resultado da cegueira de Israel que o povo Judeu não O reconheceu. Houve um crescente reconhecimento nos últimos anos de que esta visão do assunto está fortemente influenciada pela teologia Cristã. Quando começamos a ver a vinda de Jesus e o nascimento do Cristianismo no contexto da sociedade Judaica no início do primeiro século –quando começamos a estudar as expectativas messiânicas do povo de Israel e compará-las com o ministério do Nazareno– começamos a entender que não era, de modo algum, extremamente fácil para o povo Judeu reconhecê-lo e aceitá-lo como Messias.

 

Em primeiro lugar, a expressão “Reino de Deus” ou “Reino dos céus”, o ponto principal da pregação de Jesus, não se encontra em nenhum lugar no TANACH ou nos escritos apocalípticos Judaicos. E embora a idéia do reino seja básica para o ensino de ambos os conjuntos da literatura, a compreensão Judaica deste reino é completamente diferente da visão encontrada no Novo Testamento. O reino no pensamento Judaico era aquele em que o destino de Israel, ou pelo menos de um remanescente dentro de Israel, seria restaurado e as nações vizinhas julgadas. Israel aguardava e esperava a restauração e a glória nacionais, e tudo o mais era apenas um meio para esses fins –mesmo o próprio Messias tinha que ser apenas um instrumento para alcançar esses objetivos–. Isso também deve ser entendido no contexto de perseguição e sofrimento que a nação Judaica como um todo sofreu sob seus opressores. A esperança futura da nação era vista, particularmente em tempos de perseguição e agitação nacional, em termos de libertação de um poder estrangeiro e a restauração de Israel. No inicio da época, o Messias esperado era considerado principalmente como um libertador militar do tipo Zelote que livraria o país de seu odiado inimigo. Essas expectativas foram claramente baseadas na Escritura Judaica (a formulação clássica desta ideologia é encontrada no oráculo de Natã em 2 Samuel 7: “fará levantar depois de ti o teu descendente, que procederá de ti… e eu estabelecerei para sempre o trono do seu reino. Eu lhe serei por rei, e ele me será por filho… a tua casa e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será estabelecido para sempre“.[2] Gostaria de lembrar que mesmo os discípulos de Jesus, depois de tudo o que tinham visto, experimentado e aprendido com o Senhor, ainda fizeram a mesma pergunta: “Senhor, é neste tempo que vais restaurar o Reino a Israel?”[3]

 

Já é fácil ver a “anomalia” das afirmações messiânicas de Jesus: Há pouco ou nada no retrato Evangélico de Jesus que esteja de acordo com a expectativa Judaica de Rei/Messias da casa de Davi. O fato de alguém poder tornar-se messias pela crucificação, ressurreição e ascensão ao céu é sem paralelo nas fontes Judaicas. Jesus não era um ‘Messias’ de concepção Judaica; Ele não veio para atender às expectativas Judaicas do Messias; como Messias, ele esteve oculto de Israel –e essa é precisamente a razão pela qual Ele não chamou a si mesmo Messias–. Em vez disso, ele chamava a si  mesmo de Filho do Homem –e vocês perceberam que em todos os Evangelhos ninguém jamais perguntou–: ‘Afinal, o que é um Filho do Homem?’ Eles sabiam o que Ele estava falando se eles acreditavam em sua afirmação ou não.[4] E se realmente queremos compreender o ministério e a missão de Jesus Cristo, Yeshua Ha-Mashiach , também temos que conhecer isso. Precisamos ter uma compreensão completa do conceito de “Filho do Homem”.

(Continua…)

 

 

[1]  Lucas 9:20-22

[2] 2 Samuel 7:12-16

[3] Atos 1:6

[4] Daniel Boyarin, The Jewish Gospels: the Story of the Jewish Christ , The New Press, NY, 2012, Capítulo 1

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Lech Lecha – O Chamado De...

By Julia Blum

Noé – Uma Maravilhosa...

By Julia Blum

Join the conversation (2 comments)

Deixe uma resposta

  1. Lucita Limonge Leimann

    “quando começamos a estudar as expectativas messiânicas do povo de Israel e compará-las com o ministério do Nazareno– começamos a entender que não era, de modo algum, extremamente fácil para o povo Judeu reconhecê-lo e aceitá-lo como Messias.” Quero usar as palavras usadas pelo professor deste texto,, concordo, como é difícil para o povo judeu aceitar Jesus como Messias, porque foi exatamente Jesus quem disse que o seu povo o rejeitaria e que no futuro poderá ser nesta época em que estamos vivendo, viria um que se intitulasse como o messias, ele virá em seu próprio nome e a esse o aceitareis, é uma profecia que irá se cumprir, o povo judeu é muito inteligente, mas vai cair numa armadilha tremenda, depois aí é que irão compreender que Jesus Cristo é o Messias, vão abrir os olhos e entender tudo, mas tem que ser assim, para que o tempo dos gentios se completem e se salvem também. Se fosse fácil, os outros povos não conseguiriam aceitar a Jesus como o Messias. Já pensaram em quantas almas poderão ser salvas ainda, no mundo todo? Mas o tempo da graça, como chama os cristãos, está acabando, logo, os judeus vão começar a compreender tudo sobre o filho do homem. Ele prometeu que voltará para restaurar o reino de Israel, e Jerusalém será a cidade do grande rei. Calma este tempo está chegando. Estou orando para que o Senhor Jesus Cristo, venha restaurar todas as coisas como está escrito em Apocalipse. Vai se cumprir tudo, é só esperar pra ver. Quer estiver vivo verá.Shalom povo de D’us.

  2. Hosvaldo Pereira dos Santos

    Boa noite!
    Parece que a explicação acima traz um tema relatado no livro de Marcos, no entanto no livro de Mateus, há outra versão, quando Pedro diz que Jesus é o Cristo, ele responde que foi Deus quem revelou isso a Pedro. EVANGELHO SEGUNDO MATEUS Capitulo 16
    13 E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?
    14 E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.
    15 Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?
    16 E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.
    17 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus.