O Evangelho De Marcos Em Poucas Palavras (marcos 1:1)

O Evangelho de Marcos em poucas palavras

Este evangelho é uma história curta fenomenal sobre o Deus de Israel, o Rei de Israel e o glorioso reino de Israel. A primeira frase do Evangelho de Marcos, seja funcionando como um título da obra ou introduzindo o evangelho para o ouvinte, diz o seguinte: “Ἀρχὴ τοῦ εὐαγγελίου Ἰησοῦ Χριστοῦ υἱοῦ θεοῦ”.

O primeiro substantivo é archei (Ἀρχὴ) de onde temos “arco-” em  Inglês. Esta palavra é usada em arqui-inimigo ou arcebispo e simplesmente significa primeiro, cabeça  ou principio; mas há outra forma interessante de traduzir esta palavra, que é como governante ou como alguém no comando. O último significado se encaixa muito bem com realeza global e poder,  motivo do Evangelho de Marcos. No entanto, é muito difícil ver como ele poderia ser traduzido desta forma, então traduzimos como “principio”, assim como os outros fazem.

A segunda palavra é euvangelion (visto aqui como εὐαγγελίο) é uma palavra composta que combina duas palavras gregas  “boa” e “mensagem”  diretamente traduzida para o Inglês como a palavra Evangelho ou Boas Novas. Esta palavra, apesar de escrita em Grego Koiné, invoca uma antiga ideia Israelita (Bíblica) que o profeta Isaías expressou. Como veremos, o Evangelho de Marcos está mergulhado na tradição profética Israelita. Em Isaías 52:7-10, lemos:

“7 Quão formosos são sobre as montanhas
os pés daquele que anuncia as boas notícias,
que anuncia a paz
e anuncia coisa boas,
que anuncia a salvação,
e diz a Sião: “O teu Deus reina!”
8 Ouça! Seus vigias levantam suas vozes,
eles gritam alegremente juntos,
porque eles veem com seus próprios olhos
o retorno do Senhor para Sião.
9 Rompei em júbilo, gritem juntos com alegria,
ó ruinas de Jerusalém,
porque o Senhor consolou o seu povo,
remiu a Jerusalém.
10 O Senhor desnudou o Seu santo braço
à vista de todas as nações,
e todos os confins da terra verão
a salvação do nosso Deus”.

A figura aqui é a seguinte – mensageiros do campo de batalha correm para a capital de Israel para anunciar que o Deus de Israel e o exército de Israel  tinham derrotado seus inimigos. O Senhor Deus lutou em nome de Israel e mostrou as nações do mundo que Ele é o Rei, comprometido com o máximo bem-estar de Seu povo – Israel. Os guardas, de pé sobre os muros de Jerusalém, são encarregados de dar um alerta precoce sobre qualquer coisa que vissem de longe. Eles primeiro veem os rostos jubilosos dos mensageiros e são encarregados de começar a anunciar esta alegria dentro da cidade de Deus.

Agora vamos falar sobre o nome de Jesus. O próprio nome em Inglês “Jesus” no Novo Testamento nos vem do Grego, através do Latim e Alemão. Em Grego Ἰησοῦς  é uma transliteração Greco Judaica do nome Hebraico Joshua, que entra no Novo Testamento diretamente do documento Greco-Judaico chamado Septuaginta (LXX). A Septuaginta usa o nome Grego  Ἰησοῦς para traduzir o  nome “Joshua” do Antigo Testamento  e mais tarde sua versão mais curta Yeshua (Ne. 8: 17, 1 Cr. 24:11). (Qualquer sugestão de que o nome de Jesus tem raízes pagãs e está de alguma forma ligado a Zeus não tem nenhuma base).

Quando voltamos nossa atenção para a próxima palavra, chegamos à palavra Cristo. Foi a Septuaginta Greco-Judaica acima mencionada, que traduziu a palavra Messias (מָשִׁיחַ) com a palavra Cristo (Χριστός). Em Grego significa o ungido. Lembre-se que esta tradução foi feita por Judeus e não por Gregos antes de Jesus viver. Isto significa que não há nada particularmente não-Judaico sobre referir-se a Jesus como o Messias, Mashiach ou como Cristo.

Além disso, o Ungido (Moshiah em Hebraico e Christos em Grego) era um conceito que combina três funções cruciais – a de profeta, de sacerdote e rei. O Evangelho de Marcos anuncia Jesus como alguém que está cumprindo com êxito todas as três funções. Até agora, cada conceito que é considerado neste versículo estava mergulhado na idéia da realeza Israelita.

O Evangelho continua com uma declaração importante e crucial  sobre quem é Jesus. Desde o início, ele o chama o Filho de Deus. Como veremos mais tarde, demônios  e um centurião Romano, ambos chamarão Jesus de  Filho de Deus. O conceito de Filho de Deus na mente dos antigos (Judeus ou não) era essencialmente uma expressiva figura real. Quando antigos reis eram coroados, eles eram considerados como tendo se tornado filhos de deuses ou de um deus. A idéia de Israel sobre os seus próprios reis não era diferente. O legítimo  rei de Israel no momento da coroação também se tornaria um Filho de Deus, como podemos ver no Salmo 2. Ali lemos o Rei Davi falando:

אֲסַפְּרָ֗ה אֶֽ֫ל חֹ֥ק יְֽהוָ֗ה אָמַ֘ר אֵלַ֥י בְּנִ֥י אַ֑תָּה אֲ֝נִ֗י הַיּ֥וֹם יְלִדְתִּֽיךָ

“Eu certamente proclamarei o decreto do Senhor: Ele me disse: ‘Tu és meu Filho, hoje te gerei.”

É curioso que outro termo, o Filho do Homem, parece desempenhar um papel ainda mais central nesse Evangelho (é usado 10 vezes); enquanto o termo Filho de Deus é usado apenas três vezes em todo o Evangelho. Há uma possibilidade de que esta frase (o Filho de Deus) estivesse no manuscrito original do evangelho,  mas  também temos uma série de manuscritos que não contêm esta última frase. Nestes manuscritos, tudo pára na declaração de Jesus como o Messias. Se o original tinha ou não essa frase, nada mudou. Jesus é apresentado como o Ungido. O que significa tudo isso? Vamos descobrir em breve.

Oração

Oh, Deus, ajuda-nos a entender todo o significado de ter Jesus como

o Rei sobre nós e a alinhar nossas vidas com este fato.

Amen.

 

About the author

Dr. Eli Lizorkin-EyzenbergTo secure your spot in our new course “The Jewish Background of New Testament” - CLICK HERE NOW

You might also be interested in:

Abraão No Egito (lech Lecha -2)

By Julia Blum

Lech Lecha – O Chamado De...

By Julia Blum

Join the conversation (3 comments)

Deixe uma resposta

  1. Daniel Francis da Silva.

    Desejo conhecer mais a narrativa bíblica fora dos padrões que conheço. Por esta causa estou iniciando curso de Hebraico Bíblico. Quando leio um comentário como este sobre o Ev. de Marcos do Dr. Eli, eu fico entusiasmado. Os Judeus são os donos da benção e nós as migalhas. Daqui a diante firmarei contatos com frequência. Paz vos seja multiplicada.

    1. Eric de Jesús Rodríguez Mendoza

      BS”D

      SHalom Daniel!
      É grato ler tuas palavras. Obrigado pelo comentário. Eu só quer te lembrar o que está escrito nos Salmos cap 3:
      “Do Senhor é a bençao”…

  2. vilmar

    Tem aprendido muito, gosto muito dos seus incinamentos.