Perdido Na Tradução: O Evangelho No Gênesis

Já escrevi nestas páginas que Torá Porção VaYerá apresentou um interesse especial para os Cristãos: sua estrutura é semelhante à estrutura dos evangelhos, especialmente o Evangelho de Lucas. Esta parte começa com a Anunciação Divina do nascimento milagroso do filho da promessa e termina com Aqedát Itzják, o sacrifício deste filho nascido milagrosamente. Em Gênesis 18, Deus vem a Abraão na forma de três visitantes celestiais. Um dos principais objetivos desta visita foi a anunciação —o anúncio do nascimento milagroso de Isaque—. Vemos um anúncio muito semelhante no início do Evangelho de Lucas: Lucas nos diz que «o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré». A uma virgem chamada Maria, anunciando o nascimento milagroso de Jesus. VaYerá termina com Gênesis 22, Abraão estando pronto para sacrificar seu filho e Isaque deitado no altar. O Evangelho de Lucas (como qualquer outro evangelho) termina com o sacrifício de Jesus —com sua crucificação e ressurreição—. Neste sentido, há uma semelhança notável entre o ponto inicial e final da nossa porção hoje, e o ponto inicial e final do Evangelho de Lucas. Há tantas coisas que podemos dizer sobre esta porção maravilhosa, no entanto, como os comentários deste ano sobre as Parashót Shavúa se intitulam «Perdidos na Tradução», quero mostrar quantos detalhes adicionais podemos ver nestes pontos de início e fim de VaYerá quando nós a lemos em Hebraico.

Luta interior

Nossa porção começa com uma cena famosa em Gênesis 18, onde Deus vem a Abraão na forma de três visitantes celestiais. Algum contexto seria útil aqui: logo antes disso, no Capítulo 17, Deus falou a Abraão após 13 anos de silêncio. Primeiro, Deus disse a Abraão que Ele estava fazendo um pacto com ele e com seus descendentes para sempre: «Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência: todo macho entre vós será circuncidado; circuncidareis a carne do vosso prepúcio; será isso por sinal de aliança entre mim e vós». Então, de repente, veio a notícia de última hora de Gênesis 17:16: Abraão teria outro filho! Honestamente, não acho que tenha sido uma boa notícia para Abraão. Pelo menos, não da maneira que estamos acostumados a ler: Olha, enfim Isaque está chegando! Não, Abraão já tinha um filho. Ele estava perfeitamente feliz com este filho; seu coração estava preenchido por Ismael, e ele nem sequer tinha a certeza se queria outro filho. Afinal, ele era um homem velho e não tinha certeza se teria espaço para outro filho em sua vida. Ele conhecia as magníficas promessas de Deus aos seus descendentes e naturalmente pensou —e ficou absolutamente feliz em pensar— que todas essas promessas se referiam a Ismael. Certamente, ele foi obediente ao Senhor, como sempre, e não discutiu com Ele quando anunciou sua vontade, mas não acho que ele ficou especialmente animado com a notícia desse novo bebê. Em certo sentido, a última notícia de Gênesis 17:16 foi uma mudança inesperada e quase indesejável no mundo de Abraão.

Agora, podemos entender melhor o início do Capítulo 18. De acordo com os comentários Judaicos, apenas alguns dias se passaram entre o aparecimento de Deus a Abraão no Capítulo 17 e seu aparecimento diante da tenda de Abraão no Capítulo 18. Abraão nem mesmo estava completamente recuperado de sua circuncisão no final do Capítulo 17. O conhecido início do Capítulo 18: «O Senhor apareceu a Abraão»é seguido pela conversa de Abraão com seus visitantes. Se lermos este texto em Hebraico, encontraremos algo estranho e inesperado aqui, algo que reflete a luta no coração de Abraão após seu encontro anterior com Deus no Capítulo 17 —e algo que se perdeu completamente na tradução—. As sentenças Hebraicas desta conversa são expressas alternadamente no singular e no plural. A primeira palavra do discurso de Abraão aqui é (אדוניAdonái) e há controvérsia sobre se Adonái aqui deve ser lido como uma palavra sagrada no singular: «Meu Senhor», ou como uma palavra plural regular: «senhores». Nos versículos seguintes, encontramos o singular e o plural: no versículo 3, existem apenas formas singulares, enquanto os versículos 4 e 5 usam o plural. Primeiro, Abraão está dizendo: «não passe adiante» no singular, e então «lavem seus pés», e «refresquem seus corações» no plural. Parece que o próprio Abraão não tinha certeza exatamente de quem viu, como se a Torá refletisse a incerteza inicial de Abraão sobre se os visitantes eram humanos ou divinos, se eram meros homens ou representavam Deus. Acredito que aqui, no início desta parte crucial e logo após o Capítulo 17 com suas últimas notícias, essa interação entre o singular e o plural surge como uma expressão da hesitação de Abraão e da luta interna entre o natural e o sobrenatural: se ele podia e queria acreditar a promessa sobrenatural do Capítulo 17.

O mistério da filiação

Avancemos alguns anos (37 de acordo com comentários Judaicos) e chegamos a uma das histórias mais dramáticas das Escrituras Hebraicas: Aqedát Itzják, o sacrifício de Isaque. Enquanto Isaque era conduzido ao monte por seu pai, ele perguntou a Abraão: «Eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto?».[1] A resposta de Abraão é surpreendente em sua profundidade e significado profético: «Deus proverá para si, meu filho, o cordeiro para o holocausto».[2]

Essa conversa entre Abraão e Isaque está cheia de detalhes que vocês veem apenas em Hebraico. Em Hebraico ( אלוהים יראה-לו השה לעלה בני), estas palavras soam ainda mais profundas, ainda mais ambíguas, prestando-se a múltiplas interpretações. Uma leitura tradicional colocará uma vírgula nesta frase antes da última palavra בני («meu filho»), como por exemplo: «O próprio Deus proverá o cordeiro para o holocausto, meu filho». Algumas versões que estamos usando aqui, até movem essas palavras para o início da frase: «Meu filho, Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto»No texto Hebraico original do Tanáj, no entanto, não havia sinais de pontuação e, portanto, é perfeitamente permitido dividir esta frase de uma maneira diferente da forma como as traduções em Português a traduzem. Ao fazer isso, surge um texto completamente diferente:

אלוהים יראה-לו… השה לעלה בני

Em Português, isso soaria aproximadamente da seguinte maneira: «Deus proverá (para si mesmo); o cordeiro para o holocausto é meu filho». Naturalmente, nossos ouvidos estão muito mais sintonizados com a tradução da resposta de Abraão que encontramos em nossas Bíblias em Português e, portanto, a leitura tradicional tende a parecer uma versão mais válida. No entanto, não há nada de substancial que nos incline a apoiar uma leitura acima da outra na frase original. Além disso, o fato de Abraão ter chamado o lugar de O-SENHOR-Pro – יהוה יראה[3] – parece-me outro argumento de peso a favor da leitura alternativa desta frase como consistindo de duas declarações muito importantes:  אלוהים יראה-לו («Deus proverá para si mesmo») and השה לעלה בניo cordeiro do holocausto é meu filho»).

Com esta leitura, a história da Aqedá é revelada como uma ilustração poderosa do mistério invisível de Deus oculto nas palavras de Abraão. Ele desvenda, descobre Seu mistério de filiação: Deus providenciará para Si mesmo um cordeiro para o holocausto. Deus providenciará para si mesmo um cordeiro em seu filho. השה לעלה בני. Se nos lembrarmos que Deus chama Israel de seu filho, entenderemos a história de Israel de uma forma completamente diferente e muito mais profunda.

[1] Gênesis 22:7.

[2] Gênesis 22:8.

[3] Gênesis 22:14.

Se estiver interessado em saber mais sobre o mistério da filiação na história de Israel, pode ler o meu livro «If you are Son of God, come down from the cross»,, que trata deste assunto em profundidade.  Para obter este e os meus outros livros, vá aqui. Gostaria de lembrar a vocês, queridos amigos, que nós oferecemos cursos maravilhosos, e aqueles interessados em estudar la Parashát Shavúa em profundidade, juntamente com as ideias do Novo Testamento, ou explorar a origem judaica do Novo Testamento, são bem-vindos a contactar-me (juliab@eteachergroup.com) para mais informações e para o desconto de estudante novo.

 

 

 

 

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Perdido Na Tradução: A Face De...

Por Julia Blum

Perdido Na Tradução: Conectando...

Por Julia Blum

Join the conversation (No comments yet)

Deixe uma resposta