ReflexÕes De PÁscoa: O Cordeiro (ii)

O Cordeiro do Pesach 

 

Já passamos algum tempo discutindo a história do cordeiro do Aqedah  de Gênesis 22 –a primeira vez que a palavra “cordeiro” ocorre na Torá–. Desta vez vamos discutir um cordeiro no capítulo doze do Livro de Shemot (Êxodo), que detalha a história do Êxodo do Egito. Como o Akedah, o Êxodo tem um lugar único no plano de Deus para Israel, bem como em Seu plano para toda a humanidade. Ao ler este capítulo desde o princípio, encontramos de novo um cordeiro: o cordeiro que devia ser morto na véspera do Êxodo teve de ser separado quatro dias antes.

 

No décimo dia deste mês, todo homem tomará para si um cordeiro… O seu cordeiro será sem defeito, macho de um  ano… E o guardará até ao décimo quarto dia do mesmo mês. Então toda a assembléia da congregação de Israel o matará no crepúsculo. E tomarão um pouco do sangue, e o porão sobre os dois batentes da porta e sobre a verga da porta das casas onde o comerão.[1]

 

Sem dúvida, esta passagem é uma das mais essenciais da Torá para todos os que creem na Palavra de Deus. É aqui que encontramos pela primeira vez a figura do cordeiro sacrificial como base para a salvação. O cordeiro morto no Êxodo, com cujo sangue os batentes da porta foram marcados, era o símbolo, a promessa e a base para a salvação de Israel do Egito. O Cordeiro que parecia como se tivesse sido morto,[2] do livro de Apocalipse, é o símbolo, a promessa e a base para a salvação trazida a toda a terra. Tudo o que aconteceu com Jesus durante o tempo do Pesach dois mil anos atrás foi a manifestação completa e literal do mesmo cenário que Deus nos deu no Livro do Êxodo.

 

Em meu último post mencionei que nesta Páscoa decidi dar a meus leitores um presente de um manuscrito de uma peça do Pesach que escrevi há algum tempo. Eu esperava que vocês fizessem o download e o lessem (vocês podem download do meu site: http://readjuliablum.com), entretanto, gostaria de adicionar algumas palavras sobre isto. Os eventos (fictícios, é claro) que a peça descreve ocorrem no Egito logo antes do Êxodo. O personagem principal é um menino Hebreu chamado Avi que tem um cordeiro como pet de estimação, que é seu companheiro constante e parceiro de brincadeiras favorito. Quando o Senhor dá a ordem por intermédio de Moisés para separar um cordeiro para o sacrifício, a família de Avi estabelece sua escolha naquele cordeiro, possivelmente porque ele era o melhor, ou talvez porque ele era apenas o único que havia. Na noite anterior ao Êxodo, os pais de Avi vão pegar o cordeiro para matá-lo, e o menino chorando os segue o tempo todo perguntando: “Por quê? Por que ele? Ele é tão bom, tão branco, tão limpo e puro!” Seus pais respondem: “Esta é a razão pela qual o estamos escolhendo; porque ele é imaculado, ele é o único que deve ser usado para o sacrifício. Mais tarde você vai entender por que não poderia agir de outra forma e a razão pela qual ele precisa morrer”. Naquela noite, quando, prontos para deixar o Egito, todos os membros da família, incluindo o menino choroso sentam à mesa partilhando o primeiro seder de Páscoa na História de Israel, de repente há um silêncio completo. Então, primeiro de uma, depois de outra casa ouvimos gritos e lamentos horrorizados. O menino, completamente assustado, é mantido perto de seus pais e quando ele olha para os seus rostos, esperando curiosamente uma explicação, sua mãe explica: “Agora você entende por que seu cordeiro teve que morrer? Nesta noite, o anjo da morte está atingindo todos os filhos primogênitos do Egito. Você é o nosso primogênito, e se não fosse pelo sangue do cordeiro nos batentes da nossa porta, você teria morrido também. Com a sua morte, ele lhe deu vida”. Com lágrimas nos olhos, o abatido Avi agradece a Deus por Sua provisão de salvação.

 

Eu relatei esta cena para nos ajudar a entender como tudo o que aconteceu com Jesus cumpriu o cenário estabelecido por Deus durante o tempo do Êxodo. Em um ponto da peça, os pais do menino pareciam cruéis e desumanos aos olhos de seu filho, mas estavam simplesmente seguindo as instruções de Deus, salvando sua vida pelo sangue do cordeiro sacrificial. A crucificação de Jesus também foi cruel e desumana, mas através dela o plano de Deus para a salvação foi realizado através do sangue derramado do ‘Cordeiro sacrificial’.

 

O sofredor silencioso

Assim, Deus proverá para Si um cordeiro em Seu filho –este é o tema que flui através do Akedah–. O cordeiro sacrificial como base para a salvação é a figura apresentada no Êxodo. Há também vários lugares na Torá onde esta palavra ocorre em um sentido muito literal e não tem nenhuma conotação espiritual adicional. A terceira vez que encontramos uma menção significativa de um cordeiro no Tanach está no bem conhecido capítulo cinquenta e três de Isaías, que há muito tempo se tornou uma pedra de tropeço entre Cristãos e Judeus –os primeiros o leem como uma profecia da morte do Messias para a expiação, enquanto os últimos afirmam que Isaías está profeticamente descrevendo o sofrimento do povo de Israel–. No versículo sete deste capítulo lemos: Ele foi conduzido como um cordeiro para o matadouro, e como uma ovelha diante de seus tosquiadores é silenciosa, então Ele não abriu Sua boca. Aqui começamos a ouvir um terceiro motivo, sem o qual a figura Bíblica do cordeiro está incompleta: humildemente e silenciosamente, o cordeiro carrega os sofrimentos colocados sobre ele por causa dos outros. O sofrimento substitutivo do manso e humilde cordeiro é o terceiro motivo relacionado com esta figura que encontramos no Tanach.

 

Agora, de forma mais profunda e mais significativa, podemos compreender a exclamação de João Batista no início do Evangelho de João –a exclamação com a qual começamos nossa busca–. Nas palavras: ‘Eis! O Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo’ todos os três mistérios de Deus que examinamos estão fundidos em um todo unido: O Cordeiro de Deus significa que este é o Filho (Gênesis 22) e que Seu sofrimento substitutivo (Isaías 53) se tornará a base para a salvação (Êxodo 12). Tudo o que o Senhor falou a Israel durante sua história foi concretizado no sofrimento substitutivo e morte do cordeiro. (você pode ler mais sobre o cordeiro no Tanach (Antigo Testamento) no meu livro If you are  Son of God...)

P.D: Muitas pessoas tem me perguntado se meus livros estão traduzidos para os idiomas espanhol e português, por enquanto infelizmente temos somente a versão em inglês. Ficaria muito feliz se alguém desejar me apoiar como voluntário, ou também, ser patrocinador da tradução para ambos os idiomas, Se te interessar, escreva-me por favor: juliab@eteachergroup.com

 

 

 

[1] Êxodo 12:3-7

[2] Apocalipse 5:6

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Lech Lecha – O Chamado De...

By Julia Blum

Noé – Uma Maravilhosa...

By Julia Blum

Join the conversation (No comments yet)

Deixe uma resposta