InÍcio De 2017 Desde JerusalÉm

A PALAVRA DA INTERNET PARA O ANO NOVO

Quanto mais perto chegamos do Ano Novo, soa mais alta a voz dos muitos sites “profetizando” a vinda do Messias em 2017. Os sites Ingleses estão cheios de artigos sobre o Rabino Judá Ben Samuel e sua profecia sobre 2017. Uma simples busca no Google mostra milhares de páginas na web tratando sobre essa profecia; os sites Hebraicos, entretanto, são muito mais moderados e cautelosos. Vamos tentar entender o porquê.

Suponho que a maioria dos meus leitores já tenha visto este texto, mas no caso de você não estar familiarizado com ele, vamos examinar parte dela novamente. A profecia atribuída a Judá Ben Samuel –a “profecia da Internet”, como já tem sido chamada– diz o seguinte:

“Quando os Otomanos conquistarem Jerusalém, eles governarão Jerusalém por oito jubileus. Depois Jerusalém se tornará terra de ninguém por um jubileu e, depois, no nono jubileu, voltará a ficar na posse da nação Judaica –o que significaria o início do fim dos tempos Messiânicos–”.

Esta profecia apareceu pela primeira vez em 2008, na Revista Cristã / Messiânica Israel Today, traduzida e resumida do original Alemão por Ludwig Schneider. Desde então, ela foi adotada por milhares de páginas da web, e o Rabino Judá Ben Samuel tornou-se mais famoso do que nunca.

O Rabino Judá Ben Samuel (o nome Hebraico é Yehudah Hachassid –Judá, o Piedoso–), filho da famosa família Kalonymus de rabinos e místicos, viveu e trabalhou na Alemanha a partir do final do século XII até o início do século XIII. O Rabino Judá escreveu vários livros, seguramente tinha tendências místicas, e escreveu um monte de histórias sobre o sobrenatural (bruxas, vampiros e outras criaturas estranhas). De acordo com seus alunos, ele era muito apaixonado pela vinda do Messias, e isso pode explicar a profecia sobre a idade Messiânica. Se essa profecia, de fato, pertence a ele –se este texto vem do  século XIII– seria realmente incrível!

Entretanto, o problema é que não há nenhuma referência a esta “profecia” em nenhuma das obras disponíveis de Judá Ben Samuel. Os sites Hebraicos estão perfeitamente cientes disso. Houve alguns escritores e pesquisadores Israelenses que tentaram contatar Ludwig Schneider, pedindo informações sobre a fonte da profecia, mas sem sucesso. Assim, até o momento somente sabemos com certeza sobre uma fonte desta “profecia”: o artigo na Revista Israel Today (março de 2008, página 18), que tornou-se o início desta onda de interesse em torno do Rabino Judá. Não estou dizendo que não havia tal profecia –tudo o que estou dizendo é que não temos nenhuma prova de que existia–.

Tendo dito isto, tenho que admitir que entendo perfeitamente esses sentimentos sobre 2017, e também tenho tendência a vê-lo como um ano de significado profético. Todos sabemos que o relógio profético de Deus está ligado a Israel e Jerusalém. O primeiro ato oficial por uma nação Gentia que deu aos Judeus o direito legal sobre a Terra Santa, foi a Declaração de Balfour, e isso aconteceu em 1917. Então, 50 anos depois, em 1967, após a Guerra dos Seis Dias, Jerusalém foi reconquistada, reunificada e declarada como a eterna e indivisível capital do Estado de Israel. Após 50 anos a partir de 1967, no inicio do ano de 2017 –e iniciando-o de Jerusalém– eu não posso deixar de antecipar a importância deste ano para o meu país e minha cidade, para Israel e para Jerusalém, –e para o mundo todo–.

A PALAVRA DE DEUS PARA O ANO NOVO

Isto significa que, quando nos aproximamos do Ano Novo, temos mais uma razão para ouvir o que Deus está nos dizendo. Eu acredito que as porções semanais da Torá são divinamente ordenadas, e que Deus fala ao Seu povo –e a cada um de nós pessoalmente– através destas Parashot Shavua. Como era natural, há algum tempo atrás, eu verifiquei a porção da Torá para o último Shabbat de 2016 (que também é o último dia do ano –31 de Dezembro–). O ano que se inicia começou a parecer ainda mais significativo quando percebi que o inicio deste ano seria marcado por Parashat Miketz!

A porção de Miketz começa a partir de Gênesis 41:1, onde lemos: no final de dois anos completos Faraó sonhou. Há uma diferença ligeira e aparentemente insignificante quando lido em Hebraico: MiKetz Shnataim Yamim (מִקֵּץ שְׁנָתַיִם יָמִים ) –no final de “dois anos de dias”–. A palavra yamim , dias, não ocorre em nenhuma das traduções em Inglês, que falam somente sobre “dois anos” ou “dois anos inteiros”, enquanto o texto original fala de “dois anos de dias”.

Acredito que o texto Hebraico transmite aqui uma mensagem muito profunda –uma mensagem que fica completamente perdida na tradução–. Para José esses dois anos de prisão consistiam em muitos dias –dias cheios de luta, e dor, esperanças e decepções–. A palavra “dias” nos assegura que Deus viu todos os dias destes dois anos: Ele conhecia  a dor e a angústia de cada um desses dias. Ele sabia que a cada dia José tinha de escolher acreditar e confiar Nele novamente.

Creio que  esta é a mensagem para cada um de nós nesta mudança de ano. Ainda hoje, no Hebraico moderno, a palavra “dias” é frequentemente acrescentada quando falamos de tempo: por exemplo, uma semana de dias, um mês de dias. שבוע ימים. חודש ימים… Isto significa que, embora nossas vidas sejam medidas por anos (ou meses ou semanas), esses anos consistem em dias –dias repletos de desafios e escolhas, esperanças e decepções– e Deus também vê e conhece a dor e a angústia de cada um e cada um destes dias. Todos os dias enfrentamos novos desafios; todos os dias precisamos escolher confiar nele –muitas vezes apesar de nossas circunstâncias, apesar de toda a dor, lutas e decepções–. Eu não sei o que você tem passado nesses últimos dois ou três ou cinco anos de dias, mas confie em Sua Palavra: Deus não apenas vê cada um desses dias, mas, em algum momento, inevitavelmente virá o fim destes anos de dias, –tal como aconteceu na vida de José na porção da Torá– marcando a entrada de 2017.

A TODOS MEUS LEITORES, ESTUDANTES E AMIGOS: O QUE VOCÊ E SEUS AMADOS TENHAM UM ANO VERDADEIRAMENTE MARAVILHOSO E ABENÇOADO. REALMENTE EU APRECIO A TODOS. FELIZ ANO NOVO!

 

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Lech Lecha – O Chamado De...

By Julia Blum

Noé – Uma Maravilhosa...

By Julia Blum

Join the conversation (One comment)

Deixe uma resposta

  1. djane candeia

    para vc um ano cheio da presença do grande Deus, paz