O Que Foi O Lar De Jesus? Depende De Quem Você Pergunta.

O que foi o lar de Jesus? Depende de quem você pergunta. (por Dr. Eli Lizorkin-Eyzenberg)

43 E dois dias depois partiu dali, e foi para a Galiléia. 44 Porque Jesus mesmo testificou que um profeta não tem honra na sua própria pátria. 45 Chegando, pois, à Galiléia, os galileus o receberam, vistas todas as coisas que fizera em Jerusalém, no dia da festa; porque também eles tinham ido à festa. 46 Segunda vez foi Jesus a Caná da Galiléia, onde da água fizera vinho. E havia ali um nobre, cujo filho estava enfermo em Cafarnaum. 47 Ouvindo este que Jesus vinha da Judéia para a Galiléia, foi ter com ele, e rogou-lhe que descesse, e curasse o seu filho, porque já estava à morte. 48 Então Jesus lhe disse: Se não virdes sinais e milagres, não crereis. 49 Disse-lhe o nobre: Senhor, desce, antes que meu filho morra. 50 Disse-lhe Jesus: Vai, o teu filho vive. E o homem creu na palavra que Jesus lhe disse, e partiu. 51 E descendo ele logo, saíram-lhe ao encontro os seus servos, e lhe anunciaram, dizendo: O teu filho vive. 52 Perguntou-lhes, pois, a que hora se achara melhor. E disseram-lhe: Ontem às sete horas a febre o deixou. 53 Entendeu, pois, o pai que era aquela hora a mesma em que Jesus lhe disse: O teu filho vive; e creu ele, e toda a sua casa. 54 Jesus fez este segundo milagre, quando ia da Judéia para a Galiléia.

As diferenças entre os Evangelhos Sinóticos e o Evangelho de João têm intrigado durante séculos os comentaristas. Alguns trabalharam duro para conciliar cada jota e til, enquanto outros chegaram à conclusão de que João contradiz os Sinóticos (Marcos, Mateus e Lucas). Muitos comentaristas estão situados entre essas duas posições. Eles reconheceram que, essencialmente, os Evangelhos contam uma história sobre Jesus. Eles também reconheceram que algumas das diferenças cruciais não podem ser descartadas nem devem ser ignoradas. A seção a seguir pode ser corretamente contada entre essas tradições divergentes que contam a mesma história a partir de diferentes ângulos e perspectivas.

Chegamos a Jo . 4:43-45 que nos reporta o fim dos eventos relacionados a Jesus durante sua parada em Siquém da Samaria. Aqui vemos que Jesus não volta para a Judéia, mas continua sua jornada para a Galiléia. Além da ausência do incidente com a mulher samaritana dos Sinóticos, há outra característica importante entre Sinóticos e John que divide opiniões. João afirma que a razão de Jesus não ter voltado para a Judéia , mas ter ido a Galiléia, foi porque “o próprio Jesus testemunhou que um profeta não tem honra na sua própria pátria (literalmente pátria no sentido de terra-mãe no idioma Inglês )”( 4.44). O que é, naturalmente, marcante aqui é que João nomeia a Judéia como terra natal de Jesus, sua pátria , onde ele pertencia, e não a Galiléia como fazem os Sinópticos (Mt. 13:54-57 , Mc. 6:1-4 , Lc. 4: 23-24).

Juntamente com esta leitura alternativa da identidade de Jesus, João pinta um retrato da rejeição e aceitação de Jesus para seus leitores que também é muito diferente da imagem nos sinóticos. Galiléia e Samaria foram muito receptivos a Jesus. As pessoas de lá o receberam com muito poucas exceções, enquanto tudo o que ele faz em sua terra natal da Judéia parece encontrar significativa oposição.

Há um paradoxo e tensão aqui. Na Judéia (terra natal de Jesus em João), Jesus enfrentou perseguição. Ele nasceu lá e a casa de seu Pai, o Templo do Deus de Israel, era em Jerusalém (e não na Galiléia e nem na Samaria ), mas é de lá que vem a verdadeira oposição ao seu ministério. Não é que a incredulidade foi encontrada somente na Judéia, afinal todos os discípulos judeus da galiléa vão deixar Jesus depois de suas declarações sobre seu corpo e sangue (Jn.6:66 ) . Em geral, não se pode negar que os de Samaria e Galiléia eram muito mais receptivos do que os da Judéia. Em João, a Judéia é verdadeira casa de Jesus. Ele pertence na Judéia, mais do que ele pertence em qualquer outro lugar. É apropriado que devemos entender Jo . 1:11-12 dentro deste contexto: “Ele veio para o seu (criação), e os seus ((o Ioudaioi – liderança da Judeia e seus seguidores) não o receberam. Muito mais sobre este tema no meu próximo livro “O rei de todo o Israel: Evangelho de João e do conflito judaico-samaritano”. Ele deve estar disponível o 01 abril de 2015.

© By Eli Lizorkin-Eyzenberg, Ph.D.

 

About the author

Dr. Eli Lizorkin-EyzenbergTo secure your spot in our new course “The Jewish Background of New Testament” - CLICK HERE NOW

You might also be interested in:

Quem Foi Melquisedeque? (3)

By Julia Blum

Quem Foi Melquisedeque? (2)

By Julia Blum

Join the conversation (5 comments)

Deixe uma resposta

  1. marco bastos

    Foi ótimo este esclarecimento. Desejo continuar recebendo os estudo. Que Deus o abençoe.

  2. Aparicio Salles

    bela leitura dessa passagem que muitas vezes passam desapercebidos, mas uma coisa eu também creio, João andou com Jesus, e os fatos que ele relata em seu livro, eu creio, são todos verídicos…

  3. rosangela godoi

    ola tudo e muito intrigante a respeito de jesus,o filho do homem,o filho de Deus ,uns amam outros odeiam,seu proprio povo na sua terra sua patria o renegou com certeza ha muito mais sobre jesus,eu assisto o canal da history e vejo o documnetrio sobre a biblia seus evangelhos que foram deixados de lado e realmete tudo muito intrigante mas gosto de receber seus e-mail ,um abraço e um feliz 2015 Deus abencoe…..

  4. meire luci pereira

    sempre me perguntei a respeito dessa fala:que um profeta não tem honra na sua própria pátria.
    Agora ficou claro para mim.

  5. Flavio dos Santos

    Desejo receber notícias sobre grego em tros níveis além do introdutório. e cursos de novo Testamento.

    Obrigado!

    Flavio dos Santos