Leitura Da Torá De Rósh Hashaná: Deus Quer Curar!

Entrando no mistério

Da última vez, prometi falar sobre a leitura especial de Rósh haShaná da Torá. Mas antes de fazermos isto, gostaria de dizer apenas algumas palavras sobre a porção da Torá que precede a leitura de Rósh haShaná. Nós lemos esta porção no último shabbat, e esta porção é sempre lida no shabbat antes de Rósh haShanáParashát Shavúa Nitzavím. Esta Parashá é incrível, muito pode ser dito sobre ela; por enquanto, porém, gostaria de citar apenas um único versículo desta Parashá muito profundo e importante:

«As coisas secretas pertencem ao Senhor nosso Deus, mas as coisas reveladas pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que possamos cumprir todas as palavras desta lei».[1]

Todos nós conhecemos essas palavras profundas, mas elas soaram ainda mais profundas para mim quando percebi que esta foi a última leitura das Escrituras antes de Rósh haShaná. Tenho arrepios ao pensar que, com essas mesmas palavras: «As coisas secretas pertencem ao Senhor nosso Deus», estamos entrando naquela leitura especial da Torá de Rósh haShaná e naquele profundo mistério de Deus —o mistério dos dois filhos de Abraão— que somos lembrados a cada Rósh haShaná .

Vocês devem estar se perguntando como e por que Rósh haShaná nos lembra dos dois filhos de Abraão. Rósh haShaná é um feriado essencialmente Judaico, então o que isto tem a ver com Ismael, o filho mais velho de Abraão? Eu costumava pensar o mesmo, pois no passado minha atenção sempre foi atraída para o fato de que a cada ano novo Judaico lemos Gênesis 22, um capítulo muito «Judaico». Gênesis 22 é sobre Abraão e Isaque, descreve Aqedát Yitzhák, o sacrifício de Isaque e é crucial para a compreensão do mistério de Deus com Israel. O livro que escrevi sobre o lugar de Israel no plano de Deus, começou com reflexões sobre este capítulo: «É altamente significativo que em cada Rósh haShaná, a cada ano novo, esta porção, a Aqedá, sobre o sacrifício de Isaque, é lido. O povo de Israel olha para esta história com uma mistura de sentimentos de medo e admiração, entendendo que ela de alguma forma tem significado para o seu destino, mas são incapazes de discernir a verdade: que eles estão olhando em um espelho».[2]

No entanto, o anos tiveram que passar, antes que meu coração fosse trespassado por uma repentina percepção (embora teoricamente eu soubesse disso o tempo todo) de que durante Rósh haShaná , Gênesis 21 também era lido. O Festival de Rósh haShaná dura dois dias, e esses dois capítulos são lidos lado a lado todos os anos. Surpreendentemente, este é o único feriado Judaico que é celebrado durante dois dias, tanto em Israel quanto fora de Israel, como se tivesse sido talhado precisamente por este motivo: um dia para cada capítulo!

Por que lemos esses dois capítulos nesta festa? Existem algumas explicações rabínicas sobre por que lemos Gênesis 22, embora pessoalmente eu não as ache convincentes ou suficientes; no entanto, ainda estou para ver uma explicação sólida e coerente de por que lemos Gênesis 21 em Rósh haShaná. Hoje, em retrospecto, gostaria de reformular ao longo destas linhas as frases que eu escrevi em meu livro: «É muito significativo que em cada Rósh haShaná, cada ano novo estas porções… sejam lidas». Todos os anos, nosso povo olha novamente para estas histórias com sentimentos renovados de medo e admiração, «compreendendo que, de alguma forma, têm significado para seu destino». Não tenho dúvidas de que, de fato, ambos os capítulos e ambas as histórias têm significado para o destino de Israel e hoje convido vocês a refletirem sobre este mistério.

Buscando as respostas

Se vocês não se lembram do que acontece em Gênesis 21, por favor, deem uma olhada neste capítulo. Muita coisa acontece lá, mas o ponto principal é este: Isaque nasce e Ismael é banido. Gênesis 21 é um dos capítulos mais marcantes e, em minha opinião, também um dos mais perturbadores da Bíblia. Ele contém o episódio perturbador quando Sara exige que Abraão expulse Hagar e seu filho Ismael, o filho primogênito de Abraão, do acampamento. Definitivamente não é o melhor ponto de vista para o retrato de Sara, então? por que leríamos este capítulo a cada Ano Novo?

Ismael tinha 13 ou 14 anos quando Isaque nasceu, e se olharmos o pouco que temos na Bíblia sobre estes anos, encontraremos todos os erros possíveis que os pais podem cometer, culminando no ato que hoje seria chamado de crime, não apenas um erro: o banimento de um adolescente de 15 anos de sua casa! Se isso acontecesse hoje, a família seria enviada para terapia. No entanto, o Senhor não apenas permitiu, Ele afirmou, até mesmo insistiu nisso. A principal questão nesta história não é sobre o comportamento de Sara ou Abraão; a questão principal, a questão que mais me assombrava, é sobre Deus: Por que Deus apoiou Sara? Por que Deus concordou totalmente com o que parecia ser uma reação extrema de uma mãe enfurecida e ciumenta?

Passei muito tempo procurando as respostas. Meu livro «Abraham had two sons», foi uma tentativa de articular algumas delas. No entanto, não acho que seja o principal propósito de Deus para este livro —me dar as respostas—. Se vocês conhecem a Deus como o Deus da cura, então vocês sabem que a família e os corações que foram quebrantados em Gênesis 21 estavam certos de que seriam curados em algum ponto. Deus quer curar os feridos, e em seu tempo, Ele fará com que esta cura aconteça! Vivemos em um mundo quebrado, cheio de famílias quebradas, corações quebrados e relacionamentos quebrados e Deus quer curar esses corações, relacionamentos e vidas quebradas. Aqui, na terra de Israel, sentimos este quebrantamento todos os dias, às vezes a cada hora; portanto, creio eu, esta é a verdadeira razão pela qual lemos estes dois capítulos ao iniciar cada ano novo: Deus quer curar! Há uma promessa oculta de cura nestes capítulos e da próxima vez, descobriremos esta sugestão oculta e testemunharemos a reconciliação e a cura dos irmãos nas Escrituras. E enquanto o povo de Israel ouve estes capítulos cruciais durante os dois dias de Rósh haShaná, espero que esta promessa oculta também seja válida para seus descendentes e que um dia, testemunharemos a reconciliação e a cura de ambas as famílias.

 

[1] Deuteronômio 29:29.

[2] If You Be the Son of God, Come Down From the Cross, p.31.

Trechos de meus livros «Abraham had two sons» estão incluídos neste artigo, para  obter este e meus outros livros, cliquem aqui. Além disso, gostaria de lembrá-los  que oferecemos cursos maravilhosos, e aqueles interessados em estudar em profundidade a Parashát Shavúa, junto com os conhecimentos do Novo Testamento, ou explorar a origem Judaica do Novo Testamento, podem entrar em contato comigo (juliab@eteachergroup.com) para mais informações e para o desconto para os novos alunos. 

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Pardes, Os Dois Filhos De Abraão...

Por Julia Blum

Leitura Da Torá De Rósh...

Por Julia Blum

Join the conversation (No comments yet)

Deixe uma resposta