Morno- Nem Frio Nem Quente (ap. 3: 15-21)

15 ‘Eu sei o que vocês tem feito. Sei que não são frios nem quentes. Como gostaria que fossem uma coisa ou outra. 16 Mas, porque são apenas mornos, nem frios nem quentes, vou logo vomitá-los da minha boca.

A cidade de Laodicéia estava localizada entre as cidades de Hierápolis e Colossos. Ambas estas cidades eram conhecidas pelas  águas puras que fluíam através delas. Hierápolis tinha uma fonte  quente que era considerada medicinal. Colossos era conhecida por suas fontes frias e refrescantes da montanha. Laodicéia, por outro lado, tinha uma má reputação quando se tratava de água. Era conhecida por sua água suja, morna, que os visitantes cuspiam quase imediatamente após a degustação. Neste contexto, podemos ver que ambas as águas, quente e fria eram consideradas boas, enquanto a água morna e suja de Laodicéia não tinha valor.

17 Vocês dizem: “Somos ricos, estamos bem de vida e temos tudo que precisamos” mas, não sabem que são miseráveis, infelizes, pobre, nus e cegos. 18 Portanto, aconselho que comprem de mim ouro puro para que sejam, de fato, ricos. E comprem roupas brancas para se vestir e cobrir a sua nudez vergonhosa. Comprem também colírio para os olhos a fim de que possam ver. 19 Eu corrijo e castigo todos os que amo. Portanto, levem as coisas a sério e se arrependam.

Uma leitura atenta da admoestação de Jesus revela que esta igreja  específica tinha estado  focada em bens e riqueza, resultando em orgulho e satisfação espiritual. Jesus chamou seus seguidores desta igreja ao arrependimento e fé. Eles estavam liquidados para este mundo e estavam tão seguros de si, porque  não compreendiam o verdadeiro estado das coisas. Eles não eram ricos; eles eram pobres. Eles não estavam bem vestidos, mas nus. Não eram auto-suficientes, mas eles eram verdadeiramente necessitados. Eles pensavam que tinham acesso a um dos melhores centros de saúde no Império Romano, mas na realidade, estavam completamente cegos. Eles tinham investido seus bens valiosos  no banco errado. O que é importante perceber é que esta carta realmente não é diferente das seis cartas para as outras igrejas. O desafio para nós é ver que o tipo de riqueza e conforto mencionados aqui somente  pode ter  sido alcançado se for presumida sua plena participação na sociedade Romana pagã. A reprovação de Jesus não  deve ser tomada como tratamento sem compaixão, cruel. É precisamente porque essas pessoas tinham o amor e compromisso  do Cristo Redentor  que eles foram desafiados a se arrepender e mudar os seus hábitos.
20 Escutem! Eu estou à porta e bato. Se alguém ouvir a  minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos.

O Rei de Israel está disposto a ter comunhão real com seus seguidores. No entanto, porque ele é santo, nenhum compromisso ou contaminação com impureza é permitido. Isto está  claramente afirmado nas Escrituras Israelitas. Lemos em Levítico 18:24 “Não façam nenhuma destas coisas, pois vocês ficarão impuros, como ficaram impuros os povos que eu vou expulsar da terra que vai ser de vocês.” Os Nicolaítas de Pérgamo e Éfeso – aqueles que alegaram “nós comeremos” (ver a discussão anterior sobre Nicolaítas como Hebraísmo em Apocalipse 2:6) – estavam dispostos a envolver-se  em comunhão não qualificada e totalmente irrestrita com o paganismo Romano que foi proibido pelo Conselho de Jerusalém em Atos 15.

Muitos seguidores do Cristo Judeu de Laodicéia aparentemente também foram vítimas dos ensinamentos dos Nicolaítas, embora não estivessem explicitamente identificados com eles como foram os outros. Jesus, chamando-os ao arrependimento, ofereceu-lhes o maior incentivo possível – o direito pessoal de comunhão da mesa com o próprio Jesus Cristo. A comunhão com o Deus de Israel deve permanecer pura. Nada mudou. O Santo é ainda sagrado.

21 Aos que conseguirem a vitória eu darei o direito de se sentarem ao lado do meu trono, assim como eu consegui a vitória e agora estou sentado ao lado do trono do meu Pai. 22 Portanto, se vocês têm ouvidos para ouvir, então ouçam o que o Espírito de Deus diz às igrejas’”.

Não há dúvida que o compromisso de evitar a contaminação do modo de vida  predominante no Império Romano era extremamente difícil, especialmente, quando a união de não-Judeus  aos seguidores de Jesus do povo de Israel  foi severamente desencorajado, se não  proibido no Império Romano. Lemos em 1 Coríntios 7:17: “Cada um deve continuar vivendo de acordo com o dom que o Senhor lhe deu e na condição em que se encontrava quando Deus o chamou. É essa a regra que eu ensino em todas as igrejas.” Os Gentios seguidores do Cristo Judeu foram encorajados a se juntar a coligação Judaica como peregrinos com Israel; isto é, não como os Judeus, mas como os Povos. Neste caso, de acordo com Paulo, tomariam parte no estabelecimento da Torá. Paulo apoiou a declaração, feita no Conselho de Jerusalém, para os Judeus e os Povos adorarem o SENHOR Deus em igualdade. Lemos o que o Apostolo Paulo, o único Fariseu cujos escritos aos seguidores não-Judeus sobrevive, fala sobre isso em Romanos 3:28-31:

“Assim percebemos que a pessoa é aceita por Deus pela fé e não por fazer o que a lei manda. Ou será que Deus é somente Deus dos Judeus? Será que não é também Deus dos não-Judeus? Claro que é! Deus é um só e aceitará os Judeus na base da sua fé e também aceitará os não-Judeus por meio da fé que eles têm. Será que isso quer dizer que, por causa da fé, nós tratamos a lei como se ela não valesse nada? Não; de modo nenhum! Pelo contrário, afirmamos que a lei tem valor”.

Isto significa que, para os seguidores Gentios de Jesus não havia muitas opções. Ou eles poderiam juntar-se ao povo Judeu através da conversão  proselitista (que era proibida) ou eles poderiam estar de acordo com as regras e práticas da Roma pagã que, embora condenadas,  apesar de tudo foram escolhidas por muitos. Uma terceira e a mais difícil opção  foi aprender como viver vidas santas e justas como os povos no mundo Romano, ao mesmo tempo adorando o mesmo Deus como os Judeus, mas através de Jesus – seu Rei ungido. Não foi fácil. Na verdade, era extraordinariamente difícil. Eis porque as recompensas oferecidas são tão incrivelmente grandes.

About the author

Dr. Eli Lizorkin-EyzenbergTo secure your spot in our new course “The Jewish Background of New Testament” - CLICK HERE NOW

You might also be interested in:

Quem Foi Melquisedeque? (3)

By Julia Blum

Quem Foi Melquisedeque? (2)

By Julia Blum

Join the conversation (12 comments)

Deixe uma resposta

  1. Agnaldo

    Deus abençoe -vos,pois estou aprendendo muito com vocês.

  2. Marcelo Carvalho

    Dr.Eli,
    maravilhoso o estudo.
    Obrigado por compartilhar esses tesouros do Novo testamento.
    Como crente em Jesus, Rei e Salvador fico com coração muito alegre pela oportunidade de ler e aprender esses belos ensinos.

    abraços,

  3. Maria de F´´atima Pinheiro Gama

    Obrigada pelo ensino. Muito gratificante ler seus textos. Que o Senhor continue te dando sabedoria.

  4. Arlindo Moraes Fontoura da Cunha

    Deus é um só

  5. a

    Deus ,e um só.

  6. Terezinha

    Muito grata pelos comentários. Amo a herança judaica de minha fé cristã!

  7. jose roberto Francisco

    O primeiro pensamento, é posso transgredir a lei, quantas vezes quiser, pois tenho fé e serei escolhido.Penso que não é assim, mas como será ! ?.

  8. S

    excelente explicação. obrigado!

  9. José Carlos Aquilino

    Quão enriquecedor tem sido para mim os seus ensinamentos, Dr. Eli. Tenho me aproximado mais e mais das Sagradas Escrituras e, como uma nova visão, mais rica. Sim!
    Anelo por este livro ser editado em português.
    Seja o Eterno nosso D’us conosco.
    Shalom!

  10. Jeú

    Gostei dr,Eli. Vai mim ajudar muito na minha próxima ministração.
    Nos laços do calvário abraço.
    Pb Jeú Carlos

  11. sedevilson ramalho

    Morno- Nem Frio Nem Quente: Se me permite interpretar de outra visão O Frio é aquele que não conhece os ensinamentos Cristãos e não cumpre os ensinamentos e o Quente é aquele que conhece e cumpre. O Morno conhece e ora cumpre e ora não cumpre os ensinamentos dessa maneira desagrada ao grande DEUS.

    1. Agnaldo

      Como água fria e refrescante que fala de refrigério, ou quente que é medicinal,pois fala de cura espiritual,assim Jesus queria que fosse Laudicéia. A Igreja deve oferecer refrigério para as almas,para aqueles que necessitam de paz ,refúgio alívio e purificação.Ou a Igreja deve servir de cura espiritual e salvação para o pecador, que são as águas quentes medicinais.Se a Igreja for morna,então não servirá nem de refrigério,nem de cura espiritual,só fará mal a si mesma e aos perdidos que estarão em uma água suja,morna,insípida,ou seja um evangelho morno e contaminado. Paz de Deus.