Porção Da Torá No Tempo Atual: Vayishlach

O TORTUOSO SERÁ RETIFICADO

Vinte anos se passaram desde que Jacó enganou seu irmão Esaú e teve que fugir de sua ira. Por vinte anos ele ficou fora da Terra. Chegou a hora de ir para casa. Quando Jacó se prepara para encontrar Esaú, ele encontra Deus. Um homem misterioso (ish) luta com ele durante a noite, e então o homem que lutou com Jacó o abençoou e, abençoando-o, ele mudou seu nome para Israel —Jacó se torna Israel—. Os nomes no antigo mundo Judeu tinham um peso muito importante. Um nome falava do caráter de uma pessoa, seus atos e sua identidade. Para uma pessoa receber um novo nome, significava uma mudança de identidade. Então, qual é o significado desse nome, Israel, e qual é o significado dessa mudança?

“O homem” disse a Jacó: “Seu nome não será mais Jacó, e sim Israel, pois você lutou com seres divinos e humanos e prevaleceu”. Portanto, é amplamente aceito que a palavra “Israel” vem da palavra Hebraica שרית, que em Hebraico bíblico significa “lutar”, “exercer influência”, “prevalecer”. No entanto, existe uma maneira adicional de interpretar esse nome, e essa maneira nos ajuda a compreender a profundidade da transformação em Peniel.

O nome Israel pode ser lido como Yashar- El(ישר-אל). A palavra Hebraica (יָשָׁר) significa reto, honesto, honrado e cumpridor da lei; no uso bíblico, também significa “pessoa justa e temente a Deus”. A raiz עָקֹב, por outro lado (a raiz do nome Yakov) também pode significar “tortuoso”, como neste versículo: “o que é tortuoso (הֶֽעָקֹב֙ ) será retificado“.[1] Entendemos então o significado dessa mudança: Jacó-Israel é aquele que Deus torna reto, em oposição a “ser tortuoso e irregular”.

A LONGA NOITE DO EXÍLIO

Depois desse encontro misterioso e único, lemos: Nasceu-lhe o sol, quando ele atravessava Peniel, e manquejava de uma coxa”.[2] Por que a Torah acha necessário usar essa observação sobre o sol nascente aqui?

Pelo texto sabemos que o encontro em Peniel acontece durante a última noite de Jacó fora da Terra. Podemos nos lembrar do encontro de Jacó com Deus durante sua última noite na Terra —o famoso sonho da “Escada de Jacó” de nossa última porção da Torah—. Ela diz: “Tendo  ele chegado  a certo lugar, ali passou a noite, pois já era sol-posto...[3] Vocês veem a beleza desta narrativa? O sol se pondo no começo da jornada de Jacó e nascendo no seu final, parece sustentar toda a sua jornada.

A mensagem da Torah é muito clara: o sol se pôs quando Jacó estava deixando a Terra —e na próxima vez que o sol é mencionado, ele se eleva sobre ele em Peniel, quando ele estava prestes a reentrar na Terra—. Seus vinte anos de exílio estão entre este pôr do sol e o nascer do sol —e, portanto, toda a sua jornada deve ser entendida como uma longa noite de exílio—.

Devemos lembrar que o primeiro público do livro de Gênesis foi a geração do Êxodo. Sem dúvida, essa mensagem da “noite do exílio” teria falado poderosamente e fortemente em seus corações. Jacó passou pela longa noite do exílio —mas agora o sol se levantava sobre ele porque ele estava voltando para a Terra—: no caminho de volta ele teve o encontro em Peniel e teve que passar por uma profunda transformação para se tornar Israel, a pessoa que ele foi destinado e escolhido para se tornar. O mesmo aconteceu com seus descendentes: como Jacó, eles também passaram por um longo exílio —e, assim como Jacó—, voltaram para a Terra; além disso, eles também tiveram o encontro no Monte Sinai e eles também estavam passando por uma profunda transformação para se tornarem Israel —as pessoas que eles estavam destinados e escolhidos para se tornarem—. Da história de Jacó, eles sabiam que a noite tinha acabado —e que o sol estava nascendo sobre eles—.

APAZIGUANDO OU EXPIANDO?

Então vemos Jacó reingressando na Terra e preparando-se para encontrar seu irmão Esaú, cuja bênção ele roubou e que queria matar Jacó anos antes. Quando lemos sobre os presentes que Jacó envia a Esaú esperando pacificá-lo: “Eu o aplacarei com o presente…”[4] encontramos o verbo: אֲכַפְּרָ֣ה—. A raiz desse verbo é kafar (כפר), que é a mesma raiz usada no Yom Kippur. Por que vamos encontrá-lo aquí —na história de Jacó?—

A grande maioria dos usos dessa raiz na Torah diz respeito a “fazer expiação”, e é por isso que eventualmente se torna o Yom Kippur, o Dia da Expiação. Precisamente por causa disso, suas ocorrências no livro de Gênesis, onde a expiação sacrificial ainda não está estabelecida, apresentam um interesse particular: não há palavra “expiação” na história de Jacó, então o que esta raiz está fazendo aqui?

A raiz kafar (כפר) significa cobrir fisicamente algo. Na história de Jacó se preparando para seu encontro com Esaú, a Escritura usa essa palavra para garantir que entendemos que não foi apenas um presente —foi um ato de “encobrir” seu pecado, então, nesse sentido, foi uma expiação—. A reconciliação com Esaú não foi simplesmente um assunto de família, como provavelmente parecia aos irmãos —foi um evento de significado global—.

Logo antes deste encontro, Deus encontrou Jacó no mais importante encontro de sua vida —o que definiu seu nome e o nome de todo o povo—. Isso significa que sua reconciliação —Jacó se humilhando e se arrependendo diante de seu irmão— era de vital importância aos olhos de Deus. É por isso que o arrependimento, o perdão e a reconciliação são partes cruciais do Yom Kippur —e é por isso que em Hebraico, encontramos a raiz kafar aqui— (infeliz e completamente perdida na tradução).

 

 

 

As abordagens que vocês leem nessas páginas são representativas do que compartilhamos com nossos alunos durante as aulas da DHB (Discovering the Hebrew Bible: Descobrindo a Bíblia Hebraica) ou da WTP (Weekly Torah Portion: Porção Semanal da Torah). Se esses artigos despertarem seu interesse por descobrir os tesouros ocultos da Bíblia Hebraica, ou estudarem em profundidade a Parashat Shavua, juntamente com os conhecimentos  do Novo Testamento,  eu ficaria feliz em fornecer mais informações (e também desconto para os novos alunos) em relação aos cursos da eTeacher:[5]

https://lp.israelbiblicalstudies.com/lp_iibs_biblical_hebrew_autor_teacher-en.html?AffiliateWizID=3918&SubAffiliateID=&utm_campaign=Affiliate-3918&utm_medium=banner

Se vocês gostam dos artigos neste blog, vocês podem desfrutar também de meus livros, vocês podem obtê-los da minha página:   https://blog.israelbiblicalstudies.com/julia-blum/  Além disso, eu queria que vocês soubessem que estou preparando o livro com todos esses conhecimentos Hebraicos sobre a Torah, o livro será publicado e estará disponível em janeiro – 2019.

E finalmente, para todos os meus queridos leitores Americanos: QUERO DESEJAR A VOCÊS E AOS SEUS QUERIDOS UM MARAVILHOSO DIA DE AÇÃO DE GRAÇAS. QUE SEUS CORAÇÕES ESTEJAM CHEIOS DE AGRADECIMENTO E SUA CASA ESTEJA CHEIA DE ALEGRIA! EU SOU MUITO GRATA POR TODOS  E CADA UM  DE VOCÊS.

[1] Isaias 40:4

[2] Gênesis 32:31

[3] Gênesis 28:11

[4] Gênesis 32:21

[5] Neste momento, oferecemos o curso WTP apenas em Inglês, enquanto o curso DHB existe em Espanhol e Português.

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Porção Da Torá No Tempo Atual:...

By Julia Blum

Porção Da Torá No Tempo Atual:...

By Julia Blum

Join the conversation (No comments yet)

Deixe uma resposta