Começos: Os Capítulos Negligenciados (1)

Quando 2020 se iniciou, parecia natural começar o ano com a série chamada COMEÇOS. Eu queria discutir aqui em profundidade a história primitiva os onze primeiros capítulos do livro de Gênesis. Como muitos de meus leitores provavelmente sabem, esses capítulos formam uma unidade separada e integrada: enquanto, a partir de Gênesis 12 em diante, as Escrituras tratam apenas da nação de Israel, esses primeiros capítulos se preocupam com tópicos que afetam a todos, não apenas os Hebreus. Já discutimos Gênesis 1-3 e hoje eu gostaria de continuar esta discussão. Mesmo que muitas coisas inesperadas já tenham acontecido em 2020, e mesmo que definitivamente não estejamos mais no início do ano, ainda quero voltar a esses COMEÇOS: estudar, descobrir, talvez até obter algumas respostas para hoje.

Vamos começar a discutir os capítulos «negligenciados»: enquanto todos conhecem os três primeiros capítulos (Gênesis 1-3) e a história do Dilúvio (a partir de Gênesis 6 ), as pessoas raramente se referem a Gênesis 4 e 5 e ainda existem muitos detalhes muito importantes nesses capítulos que só podem ser vistos no texto original em Hebraico. Eu acho que isso é verdade em muitos capítulos «esquecidos»: por exemplo, um dos capítulos mais significativos do livro de Gênesis é Gênesis 38 a história de Judá e Tamarmas é completamente ignorada pela maioria das pessoas, uma vez que os maravilhosos detalhes deste capítulo podem ser vistos apenas em Hebraico.[1] Então, vamos retomar nossa discussão exatamente de onde paramos: Adám e Eva são banidos do jardim do Éden.

Caim e Abel – Dois caminhos

Todos nós vimos pinturas retratando-os saindo do jardim: soluçando, torcendo as mãos, desesperados em sua miséria e tristeza. Eu já compartilhei aqui, esse pensamento incrivelmente simples que me surpreendeu anos atrás: com todas essas lágrimas, se lamentando com tudo isso, eles estão indo para o mesmo lugar em que vocês e eu agora moramos onde a humanidade vive desde então—. A miséria deles é a nossa miséria, vivemos no mesmo lugar escuro, a única diferença é que não conhecemos nada além disso mas eles sabiam muito bem o que haviam acabado de perder. Da tristeza e frustração deles ao deixar jardim do Eden e ir para o único lugar que vocês e eu conhecemos, podemos apenas imaginar o quão diferente e maravilhoso era o lugar perdido. Nesse sentido, seus primeiros passos e ações, suas primeiras palavras após seu banimento, são extremamente importantes. Quando lemos: «Coabitou o homem com Eva, sua mulher. Esta concebeu e deu à luz Caim, então disse: “adquiri um varão com o auxílio do Senhor”»  podemos ver quão forte era seu desejo pelo lugar perdido e pelo retorno a este lugar. Quando Deus amaldiçoou a terra e expulsou Adám e Eva do jardim, Ele também lhes deu a promessa que muitos leem como a promessa de um salvador vindouro. Aparentemente, Eva conectou o nascimento de seu filho com o cumprimento imediato desta promessa; ela realmente esperava que através do filho eles voltassem ao jardim que haviam perdido. Mais tarde, quando olharmos para Noé, veremos que essa esperança mudou de geração em geração: quando Noé nasceu, as pessoas já estavam extremamente cansadas da maldição na terra e esperavam ansiosamente pelo cumprimento dessa promessa. O pai de Noé considerava seu filho aquele que deveria trazer a libertação da maldição como alguém que deveria proporcionar conforto e descansomas tudo começou com o primeiro casal: chamando seu filho Caim e afirmando que ela o adquiriu do Senhor indica que Eva foi a primeira a esperar que seu filho fosse esse salvador prometido. Mais uma vez, isso nos mostra claramente o quão profundo era seu desejo.

Como todos nós sabemos, Caim não era o salvador. Eva deve ter entendido isso muito cedo, porque seu segundo filho se chamou Abel, que é «respiração» ou «desvanecendo»: «Então ela deu à luz novamente, desta vez seu irmão Abel»À sua maneira habitual, muito curta e pontilhada, as Escrituras nos contam um pouco da história dos dois irmãos: «Abel era pastor de ovelhas, mas Caim era lavrador». Muitos comentários diferentes podem ser mencionados aqui sobre suas diferentes ocupações. Por exemplo, Rashi, um brilhante comentarista medieval Judeu, observa que desde que a terra foi amaldiçoada, Abel se absteve de trabalhar nela enquanto Caim ainda estava disposto a ser lavrador do chão amaldiçoado. Outra «leitura da história sugere que os irmãos representam as duas culturas originais do homem em crise».[2] Alguns pensam que Abel escolheu a vida errante, não querendo ter suas raízes nesta terra amaldiçoada e no mundo caído, enquanto Caim escolheu a vida estabelecida, desfrutando o mundo como ele era. O castigo que Deus deu a Caim mais tarde confirma esta ideia: «Quando lavrares o solo não te dará ele a sua força, serás fugitivo e errante pela terra»Em outras palavras, você não tem permissão para morar em um lugar, será um nômade algo que, desde o início, Caim tanto tentou evitar escolhendo a vida estabelecida de um fazendeiro—.

O que Caim disse?

Em seguida, encontraremos os irmãos, cada um trazendo uma oferta ao Senhor: Caim «do fruto da terra» e Abel «das primícias do seu rebanho». Somente o sacrifício de Abel é aceito, e a aceitação provavelmente foi marcada por alguma manifestação visível. Não encontramos nenhuma explicação da escolha de Deus na narrativa bíblica, mas a maioria dos comentaristas tenta encontrar a chave da preferência de Deus na intenção dos irmãos: enquanto Caim apenas traz «uma oferta», Abel traz «a mais escolhida» de sua rebanhos. No entanto, alguns comentaristas dizem que a rejeição de Deus à oferta de Caim é inexplicável à lógica humana. Aparentemente, Caim se sentia assim: ele reagiu com raiva e violência a uma rejeição que não conseguia compreender! Ele diz algo para Abel e não sabemos exatamente o que ele diz—. Em Português, lemos: «Disse Caim a Abel, seu irmão»[3] – ­e não parece que algo está faltando aqui; no entanto, este versículo traduz, de fato, uma sentença Hebraica muito enigmática: וַיֹּאמֶר קַיִן אֶל־הֶבֶל – e a tradução literal dessa frase deve ser assim: «E Caim disse a seu irmão Abel…». O que Caim disse?

Não sabemos o que Caim disse a seu irmão antes de matá-lo; mas sabemos o que Caim disse a Deus depois que ele matou seu irmão. Poucas frases bíblicas foram citadas com a mesma frequência da pergunta desafiadora de Caim: «Sou eu tutor de meu irmão?». Segundo alguns sábios Judeus, Caim diz a Deus: «Sou eu  tutor de meu irmão? Você é Deus! É sua tarefa observá-lo, não a minha. Se eu não deveria ter feito o que fiz, você poderia ter me impedido de fazê-lo».[4] Assim, Caim desafia o próprio Deus. Adão cometeu pecado, Caim tanto pecado como crime e a crônica Bíblica de todas as rebeliões humanas pós-Éden começa aqui—.

[1] Algumas dessas maravilhosas perspectivas Hebraicas são mostradas no meu mini-livro «Biblical Portraits: Judah», vocês podem obtê-lo aqui: https://www.amazon.com/gp/product/B087QMT2RG?pf_rd_r=YMGYHWX5RXQZS8006F8Y&pf_rd_p=6fc81c8c -2a38-41c6-a68a-f78c79e7253f.

[2] The Torah, A Modern Commentary,  NY, 1981 – p. 47.

[3] Gênesis 4:8.

[4] The Torah, A Modern Commentary,  NY, 1981 – p. 47.

Os conhecimentos que vocês leem nestas páginas são típicos do que compartilhamos com nossos alunos durante as aulas DHB (Discovering the Hebrew Bible/Descobrindo a Bíblia Hebraica) ou WTP (Weekly Torah Portion/Porção Semanal da Torá). Se esses artigos despertam o seu interesse por descobrir os tesouros escondidos da Bíblia Hebraica ou por estudar em profundidade a Parashát Shavúa, juntamente com os conhecimentos do Novo Testamento,  ficaria feliz em fornecer mais informações (e também descontos de professor para os novos alunos) em relação aos cursos da eTeacher[1] (juliab@eteachergroup.com) .

Se vocês gostam dos artigos deste blog, também pode gostar dos meus livros, podem obtê-los aqui: https://www.amazon.com/Julia-Blum/e/B00LUY0JN8?ref_=dbs_p_ebk_r00_abau_000000.

Ou na minha página deste blog:   https://blog.israelbiblicalstudies.com/julia-blum/  .

[1] No momento, oferecemos o curso WTP somente em Inglês, enquanto o curso DHB existe tanto em Espanhol quanto em Português.

 

 

 

 

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Começos: Os Capítulos...

Por Julia Blum

Join the conversation (No comments yet)

Deixe uma resposta