Noé – Uma Maravilhosa Porção Da Torá (2)

ORDEM TÉCNICA OU DECLARAÇÃO TEOLÓGICA?

Continuamos nossa jornada através desta incrível porção da Torá. Mais um lugar nesta Parashah tornou-se uma grande benção para mim.

Fiquei totalmente surpresa ao encontrar aqui a raiz –כפר – Kafar:

יד  עֲשֵׂה לְךָ תֵּבַת עֲצֵי-גֹפֶר, קִנִּים תַּעֲשֶׂה אֶת-הַתֵּבָה; וְכָפַרְתָּ אֹתָהּ מִבַּיִת וּמִחוּץ, בַּכֹּפֶר. 14 Faze uma arca de tábuas de cipreste; nela farás compartimentos e a revestirás com piche por dentro e por fora.[1]

Eu acredito que todos os que conhecem um pouco sobre Israel e Hebraico saberiam o que é Yom Kippur e, portanto, iriam  reconhecer essa raiz. Todos os significados possíveis desta raiz sempre têm a ver com “expiação” (ou assim eu pensava). Então por que estaria aqui,  na história de Noé? Claro, sabemos que a arca é um tremendo símbolo de redenção e salvação –mas não há nenhuma palavra “expiação”–,  ou qualquer coisa relacionada à expiação mesmo remotamente nos textos traduzidos. Então o que está acontecendo? Por que esta incrível raiz ocorre aqui  no texto Hebraico –e por que então ela desaparece na tradução?– Esta palavra é muito significativa, muito profunda, muito importante por todos os seus significados redentores futuros e, portanto, não pode ser ignorada.

Voltemos ao dicionário mais uma vez –e mais uma vez–, nós ficamos tocados e impressionados pela profundidade insondável desta Palavra.

Encontramos no dicionário dois significados completamente diferentes da mesma raiz:

(qal) כפר – revestir algo com piche;

(pi) כיפר– expiar, perdoar

Vocês podem imaginar? Esta ordem muito técnica –a revestirás com piche por dentro e por fora–  no texto original Hebraico, soa quase como uma declaração teológica! Sim, sabemos que o Dilúvio e a Arca são grandes símbolos do castigo dos pecadores e da salvação daqueles que depositam sua confiança em Deus; sem o Hebraico, no entanto, perdemos completamente algo tão óbvio no texto original; mesmo foneticamente, a história de Noé é a história da redenção e da expiação, a palavra “expiar” está realmente incorporada neste texto!. A ordem técnica na verdade era uma declaração teológica.

O SENHOR FECHOU A PORTA

Eram macho e fêmea os que entraram de toda carne, como Deus lhe havia ordenado; e o SENHOR fechou a porta após ele.[2]  

Por que Deus mesmo fechou a porta da arca depois que Noé entrou? Imagine Noé observando de dentro todas essas pessoas lá fora –pessoas com quem ele tinha vivido por 600 anos, amigos, vizinhos e parentes–. Tentem imaginar como vocês se sentiriam se estivessem a salvo dentro, observando tantas pessoas que vocês conheceram e amaram fora, tentando entrar, condenadas a morrer. Eu acho que é impossível para nós, como humanos, tomar essa decisão final, desenhar essa última linha, separando aqueles que serão salvos daqueles que morrerão. Era impossível para Noé fechar esta porta e assim acabar com suas últimas esperanças –era impossível para Noé, e, portanto, o Próprio Deus tinha que fazê-lo–.

PARA NÃO SER ENGANADO

No final da história do Dilúvio, encontramos uma narrativa abominável sobre o filho de Noé, Cão, que viu a nudez de seu pai (enquanto seu pai estava dormindo). Quando Noé acordou e soube o que seu filho mais novo tinha feito com ele, amaldiçoou Cão (na verdade, ele amaldiçoou Canaã, filho de Cão) e abençoou os seus dois outros filhos, Sem e Jafé:

כז  יַפְתְּ אֱלֹהִים לְיֶפֶת, וְיִשְׁכֹּן בְּאָהֳלֵי-שֵׁם; וִיהִי כְנַעַן, עֶבֶד לָמוֹ. 27 Engrandeça Deus a Jafé, e habite ele nas tendas de Sem; e Canaã lhe seja servo.[3]

Este é um versículo muito importante, porque realmente se tornou um dos fundamentos “bíblicos” para a teoria da substituição da Igreja. Foi aqui que Justin Martyr encontrou a base “bíblica” de tal doutrina (no seu tratado ” Dialogue with Trypho “). Comentando esta história de Noé e seus filhos, ele aponta o versículo, engrandeça Deus a Jafé e habite ele nas tendas de Sem, como uma palavra profética sobre como no futuro Jafé, as nações Gentias que receberam o Cristianismo, aproveitariam as tendas de Sem, isto é, Israel. Vocês conhecem a fábula infantil sobre uma raposa e uma lebre: a raposa tinha uma cabana feita de gelo e a lebre tinha uma pequena casa de palha? A cabana de gelo da raposa derrete e a lebre a leva, apenas para descobrir que a raposa a expulsa e toma sua casa. Isto é aproximadamente o que aconteceu com Israel e o Cristianismo. O que vocês acham que Deus quis dizer aqui, que Jafé habitará nas tendas de Sem junto com Sem –ou em vez de Sem?– Eu acredito que o significado original deste versículo de maneira nenhuma supôs um despejo de Sem dessas tendas –não mais do que a lebre suporia que, deixando a raposa sem teto entrar, ela logo se encontraria na rua–. A interpretação de Justin Martyr, no entanto, serviu para legitimar o processo de exclusão de Israel do plano e das bênçãos de Deus, que naquele momento já avançava a toda velocidade. Era a mensagem original, de fato?

Vamos tentar entender a mensagem do texto Hebraico. O verbo יַפְתְּ no começo, que soa e é escrito exatamente como o nome de Jafé, significa aquí –”espalhar”, “ampliar”–. No entanto, como quase todas as palavras Hebraicas, pode ter alguns significados adicionais. Aqui está a lista dos possíveis significados deste verbo.

 

1.     ser espaçoso, estar aberto, ser amplo

a.      (Qal) ser espaçoso ou aberto ou largo

b.      (Hiphil) tornar espaçoso, abrir

2.     Ser simples, seduzir, enganar, persuadir

a.      (Qal)

1.     ter mente aberta, ser simples, ser ingênuo

2.     ser seduzido, ser enganado

b.      (Niphal) ser enganado, ser crédulo

c.      (Piel)

1.     persuadir, seduzir

2.     enganar

d.      (Pual)

1.     ser persuadido

2.     ser enganado

Mais uma vez, graças ao Hebraico vemos algo que caso contrário poderia ser completamente perdido: através dos mesmos versículos que foram usados pela Igreja “para justificar” a exclusão de Israel, Deus está falando sobre o grande perigo de ser “enganado“. Aqueles Cristãos na história, que foram convencidos de que eles tinham que viver nas tendas de Sem em vez de Sem –foram enganados: Jafé tem de habitar nas tendas de Sem, juntamente com Sem.

Gostaria de lembrá-los, meus queridos leitores, que oferecemos um novo curso, chamado Porção Semanal da Torá, e os interessados ​​em estudar em profundidade a Parashat Shavua, juntamente com abordagens do Novo Testamento, são bem-vindos para se inscrever neste curso (ou para entrar em contato comigo para obter mais informações e um desconto). Além disso, para os interessados ​​no meu livro sobre o Messias Oculto, As Though Hiding His Face, ou meus outros livros (todos eles têm abordagens Hebraicas), aqui está o link para a minha página neste blog: https://blog.israelbiblicalstudies.com/julia-blum/.

 

[1] Gênesis 6:14

[2] Gênesis 7:16

[3] Gênesis 9:27

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Lech Lecha – O Chamado De...

By Julia Blum

Noé – Uma Maravilhosa...

By Julia Blum

Join the conversation (No comments yet)

Deixe uma resposta