O Que Pedro Revelou?

Meus caros leitores, todos vocês já sabem que Pentecostes e Shavuót são dois nomes diferentes para a mesma festa. Da última vez, falamos sobre a revelação ser o tema principal de Shavuót na tradição Judaica. Isso significa que algumas coisas ocultas foram reveladas naquele dia de Pentecostes/Shavuót em Jerusalém de que Atos 2 nos fala: quando «Então, se levantou Pedro, com os onze; e erguendo a voz, advertiu-os  nestes termos: “Varões Judeus e todos os habitantes de Jerusalém”», ele estava prestes a revelar algo que antes não era conhecido de seu público. Claro, todos vocês conhecem o texto, e o discurso de Pedro não parece tão revelador para vocês. No entanto, tentem imaginar o suspense da multidão quando Pedro se levantou, ergueu a voz e começou seu discurso com as palavras: «tomai conhecimento disto». O que Pedro revelou?

O mistério de Lucas

Para entender o que foi revelado naquele dia, gostaria de enfatizar algo que sem dúvida vocês conhecem: Lucas é o único autor do Cristianismo primitivo que complementa a história de Jesus antes da crucificação com a história de seus discípulos após a crucificação. Portanto, não estamos no início de um determinado livro, estamos exatamente no meio dos dois volumes dos escritos de Lucas. Se algo está sendo revelado agora, no meio dos escritos de Lucas, devemos provavelmente olhar para a primeira metade desses escritos: houve algo no Evangelho que foi mantido em segredo até agora?

Na verdade, houve sim. Tentarei explicá-lo aqui brevemente, embora, é claro, levaria muito mais tempo e muitas páginas a mais para explorá-lo completamente. Sim, encontramos um mistério oculto no Evangelho de Lucas e repetidamente vemos neste Evangelho que todo o processo de guardar este segredo de quase todos, e revelá-lo a alguns escolhidos, parece essencial para Lucas. «Agradeço-te, Pai, Senhor do céu e da terra, por teres escondido estas coisas dos sábios e entendidos e as ter revelado aos pequeninos».[1]

Qual é o segredo, então? Qual é o principal segredo da narrativa de Lucas? O que está sendo escondido de certas pessoas que participam desta história e revelado  apenas a algumas? Que coisas ocultas Jesus tem em mente? Lucas coloca essas palavras de Jesus após o retorno dos 72 discípulos que se alegram porque os demônios se submetem a eles. Jesus agradece ao Pai e depois, voltando-se para os seus discípulos, diz-lhes: «Bem-aventurados os olhos que veem as cousas que vós vedes! Pois eu vos afirmo que muitos profetas e reis quiseram (ηθελησαν) ver o que vedes, e não viram, e ouvir o que ouvis, e não o ouviram».[2]Obviamente, esta declaração está diretamente conectada com o primeiro: essas coisas, que são ocultadas por Deus dos sábios são as mesmas coisas que «muitos profetas e reis quiseram (ηθελησαν) ver… e ouvir…». Lucas afirma que existe algum mistério oculto, secreto, que muitos profetas desejaram ver mas agora os discípulos finalmente o veem.

O segredo messiânico  

Segundo Lucas, esse mistério é a vinda do Messias acontecendo bem diante dos olhos de muitas pessoas, mas não reconhecido e compreendido por elas. O messianidade de Jesus é algo que o autor conhece, mas os participantes originais não. Consciente e propositadamente, Lucas retrata Jesus escondendo sua messianidade de seus ouvintes.

Os exemplos são numerosos. Vejamos algumas passagens das escrituras nas quais Jesus proibiu diretamente que outros falassem dele como o Messias: «Ele lhes disse: “quem dizeis que eu sou?” Então falou Pedro, e disse: “És o Cristo
[Messias] de Deus”. Ele, porém, advertindo-os, mandou que a ninguém declarassem tal cousa».[3] Ele não apenas recomendou que eles não dissessem nada, Ele os proibiu de falar sobre isso, e quase sempre de forma rigorosa ou severa.Na verdade, a única coisa que Jesus severamente fez foi proibir as pessoas de discutir sua identidade Messiânica e seus milagres.

Voltemos, por exemplo, ao Capítulo 4, para as cenas que se seguem ao conhecido episódio da rejeição de Jesus na sinagoga de Nazaré. Ao contrário do povo de Nazaré, havia alguns que o reconheceram como o Messias, esses eram os demônios, mas Jesus sempre os proibiu de proclamá-lo. Assim, quando o endemoninhado de Cafarnaum grita: «Que temos nós contigo, Jesus de Nazaré? Vieste para perder-nos? Bem sei quem és “o Santo de Deus!”. Jesus o repreendeu, dizendo: “Cale-se, e sai desse homem!”».[4]  Em Lucas 4:40, esta confissão dos demônios sobre o Messias é repetida novamente, mas aqui, pela primeira vez, a razão pela qual Jesus repreende os demônios é formulada explicitamente: «E ele, porém, os repreendia para que não falassem, pois sabiam ser ele o Cristo (Messias-JB)».

Da mesma forma, os doentes também se tornam objetos da proibição correspondente. Encontramos a proibição de Jesus tanto na história do leproso quanto na ressurreição da filha de Jairo. Depois de limpar o leproso, «ele ordenou-lhe que a ninguém o dissesse»; depois de ressuscitar a filha do chefe da sinagoga, «Ele os advertiu que a ninguém contassem o que havia acontecido». A impressão é que Jesus está preocupado que a divulgação de seus milagres o obrigará a revelar sua messianidade a Israel.

No entanto, a história do Gentio endemoninhado do país dos Gadarenos revela uma exceção. Nesse caso, o mandamento de Jesus ao homem que é curado é totalmente diferente do que ele ordenou aos seus companheiros Judeus nas mesmas situações: «Volta para casa e conte aos teus tudo o que Deus fez por ti». É importante notar que este caso fornece a única exceção em todo o Evangelho: em todos os outros casos, Jesus diligentemente evita títulos messiânicos e resiste firmemente à divulgação de seus milagres. Assim, Jesus estava pronto para revelar Sua identidade aos Gentios, mas teve muito cuidado em não revelá-la aos Judeus.

Não há segredo que não seja revelado

É importante distinguir entre textos e história e, portanto, entre dois públicos distintos: a audiência dos leitores do Evangelho e a audiência de Jesus dentro do Evangelho. Claro, Lucas conhece o segredo da messianidade de Jesus; além disso, ele logo o descreverá revelado em Atos. Mas, por enquanto, a messianidade de Jesus é algo que o autor conhece, mas os participantes originais do Evangelho não.

Então, aqui estão alguns resultados preliminares que definitivamente nos ajudarão a entender o que exatamente foi revelado por Pedro no Dia de Pentecostes. Em primeiro lugar, podemos dizer que em seu Evangelho, Lucas afirma que existe algum mistério secreto e oculto, que muitos profetas desejavam ver, e agora os discípulos finalmente o veem. Este segredo e mistério mais profundo do Evangelho de Lucas é a vinda do Messias, acontecendo diante dos olhos de muitas pessoas, mas ainda não reconhecido e compreendido por elas. Por que ele não foi reconhecido? Por que sua messianidade foi escondida? E quando ela foi revelada? Estas são as questões que discutiremos na próxima vez.

 

 

Se vocês estiverem interessados em aprender mais sobre o Messias Oculto, podem ler meu livro «As Though Hiding His Face», que discute a fundo esse assunto. Para obter este e meus outros livros, cliquem aquiAlém disso, gostaria de lembrá-los que oferecemos cursos maravilhosos, e aqueles interessados em estudar em profundidade a Parashat Shavua, junto com os conhecimentos do Novo Testamento, ou explorar o contexto Judaico do Novo Testamento, podem entrar em contato comigo (juliab@eteachergroup.com) para mais informações e para o desconto para os novos alunos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

[1] Lucas 10:21.

[2] Lucas 10:24.

[3] Lucas 9:20-21.

[4] Lucas 4:33.

About the author

Julia BlumJulia is a teacher and an author of several books on biblical topics. She teaches two biblical courses at the Israel Institute of Biblical Studies, “Discovering the Hebrew Bible” and “Jewish Background of the New Testament”, and writes Hebrew insights for these courses.

You might also be interested in:

Pardes, Os Dois Filhos De Abraão...

Por Julia Blum

Leitura Da Torá De Rósh...

Por Julia Blum

Join the conversation (No comments yet)

Deixe uma resposta